Idosos

Assim como acontece com os humanos, esperamos que algumas mudanças ocorram em nossos animais à medida em que eles envelhecem.


Um cão grande (pesando mais de 45 kilos) vai, tipicamente, iniciar sua fase idosa a partir dos 6 anos. Um cão médio (entre 10 e 40 kilos) provavelmente entrará no período senior depois dos 7 anos e os cães pequenos e gatos (com menos de 10 kilos), a partir dos 8 anos de idade. Existem animais que podem viver muito mais do que a média. Alguns cães chegam aos 18 ou 20 anos. Nesses casos, existem dois fatores envolvidos que justificam essa longevidade: predisposição do organismo e os cuidados que ele receberá quando começar a envelhecer. O dono deve ficar atento e conhecer as doenças que podem acometer seu animal a partir de 7 ou 8 anos de idade.


Podemos ajudar, de muitas maneiras, nossos animais de estimação a enfrentar e se adaptar a estas mudanças: diagnosticando precocemente os problemas, usando medicamentos e suplementos apropriados, modificando o ambiente, a alimentação e suas atividades, assim como a maneira como interagimos com estes velhos e queridos amigos.


Uma dieta adequada, balanceada e específica para cada idade do cão, evitará a obesidade e problemas degenerativos decorrentes da ingestão de alimentos impróprios.
Os exercícios também são importantes para manter o animal em boa forma. Mesmo os cães idosos gostam de brincar com o brinquedo favorito por alguns minutos ao dia ou de pequenas caminhadas.


A limpeza periódica dos dentes é muito importante, para evitar o acúmulo de tártaro e doenças da gengiva, com perda dos dentes. A escovação periódica dos pêlos mantém a pele e o pelame saudáveis, além de facilitar a observação de algum problema no couro, como pulgas, ressecamento, mau odor, etc. É importante a verificação dos ouvidos, observando a ocorrência de mau cheiro e secreção.
O sistema imunológico do cão idoso é menos hábil para combater o ataque de bactérias e vírus e, desse modo, é importante realizar a vacinação periódica de acordo com a orientação do médico veterinário.


O conforto e a proteção não devem ser esquecidos. O animal deve ficar em lugar protegido da chuva e de correntes de ar. Com a idade, o cão tem um metabolismo mais lento sente mais frio. Assim, a superfície onde ele dorme deve ser forrada, evitando o frio do piso.
Algumas alterações são típicas do envelhecimento como por exemplo:

 

  • Diminuição da mobilidade - calcificações nas vértebras da coluna ("bico de papagaio"), hérnia de disco e artrose;

  • Redução da mobilidade gastrointestinal (constipação), função cardíaca, da capacidade pulmonar, da função do fígado;

  • Mudanças comportamentais;

  • Alterações no pelame e na pele;

  • Catarata;

  • Insuficiência renal crônica;

  • Piometra;

  • Diabetes

  • Perda dos dentes;

  • Tumores.


À medida em que este envelhece, a saúde do cão precisa ser monitorada mais atentamente. Não ignore a mudança na atividade e no comportamento de seu cão. Muitas destas mudanças podem ser sinais de doenças sérias. Se você estiver em dúvida, consulte seu veterinário e não deixe de levar seu velho amigo canino para um check-up anual